Afrodite, Deusa do Amor

 Segundo a Mitologia Grega, Afrodite é a deusa do amor, da beleza corporal, do sexo. Há duas versões sobre seu nascimento.

Seu nome, Afrodite, significa “nascida na espuma” porque muitos diziam na época que ela nascera do mar. Conta a história que na rebelião dos deuses pelo poder, Cronos (Saturno) tirou do trono o pai Urano (Céu), amputando-lhe os testículos que, consequentemente, foram lançados ao mar. Tais órgãos fecundaram mais uma vez se transformando em uma enorme espuma. Foi aí que surgiu Afrodite (Vênus) amparada numa concha de madrepérola, considerada a mais bela de todas as deusas. Esta é a versão de Hesíodo.
De acordo com a versão convencional de Homero, ela nasceu na ilha de Chipre, é filha de Zeus (deus dos deuses) e Dione (deusa das ninfas) e se casou com Hefesto (deus do fogo). Em virtude de seus grandes desejos, Afrodite teve vários amantes, teve até um filho com o amante Anquises chamado Enéias, considerado posteriormente herói da Guerra de Tróia.
Na Mitologia Romana, é considerada a deusa Vênus. Ela é conhecida também como Citeréia. Foi muito cultuada nas cidades de Esparta, Atenas e Corinto.
Na época do Renascimento Cultural, Afrodite inspirou vários pintores e escultores, sendo uma das obras mais conhecidas “O nascimento de Vênus”, do pintor renascentista italiano Sandro Botticelli.
Ela é considerada a deusa do amor, da paixão, da sexualidade, do prazer, da fecundidade, representa a doçura dos apaixonados. A origem do culto a deusa iniciou-se no Oriente entre as civilizações da época, depois foi introduzida na Grécia por meio dos marinheiros e mercadores.